quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Submissa. - Cap.2

                             Atenção ! : cenas explícitas e linguagem imprópria !












           — O que?! Ah por favor desde que eu saiba isso é coisa de seriado e livros apenas..então me prove.




           — É? ..então quer que eu provê um pouco de você?




           — E-eu não quis dizer..isso 



Ele começou a deslizar sua boca pela extensão de meu pescoço fazendo me estremecer por inteira.

Senti uma pequena pontada com seus dentes mais afiados que o normal,mas ainda não conseguia acreditar no que acabara de me dizer.



             — H-hm..então me morda..



             — Hm? o que quer que eu faça com você meu doce? ..




             — M-me morde..




             — Só me provoca mais ainda dizendo essas coisas Sophia..




Senti suas mãos jogaram me contra o seu corpo,fazendo me cair em seu colo.


Gemi em seus ouvidos enquanto seus dedos começaram a descer por meu corpo,traçando um caminho de minha cintura,até meu bumbum.



            — Eu prometo que não vai doer nada,só vai ser prazeroso..



Seu sussurro soou em meus ouvidos enquanto senti o adentrando com seus dedos minha calcinha,usando seu indicador e polegar começou a massagear minha intimidade bem devagar,de movimentos circulares,pressenti um calor se espalhar por meu corpo inteiro,gemi ainda mais com suas 2 presas perfurando meu pescoço.

Mal tive tempo de sentir dor,pois ele começou a aumentar seus movimentos a dentro de minha roupa intima,as sensações se misturavam,e ao invés de querer parar,a única coisa que meu interior pedia era por mais.




             — Você é tão doce Sophia..eu a quero de novo.



Disse ele,limpando com a língua suas presas poucos manchadas de sangue,suas mãos pousadas em minha cintura, me apertando mais contra seu corpo,lentamente ele encostou  sua boca novamente em meu pescoço,o impacto gélido de sua língua invadiu meus sentidos,arrepiei me de prazer com os longos selares dados por ele na região,de cima a baixo,bem devagar,até chegar próximo aos ombros,e suas presas fazerem outra marca ali.



           — R-ren..ahñ 



Sua mordida fora um pouco mais longa que a anterior,e por mais estranho que fosse,a sensação soava prazerosa e toda vez que ele mordia me,um calor gostoso espalhava se e eu só tinha mais vontade ainda de te lo.



           — E-eu..eu quero mais..


Sophia (N/) 


Ren (N/)



Talvez finalmente eu havia conseguindo o que queria.

Te-lá em meus braços e poder explora-lá por inteira era muito melhor do que eu poderia imaginar,e ouvir essas palavras vindo de sua boca fazia meu coração palpitar mais forte,e minha vontade por fazer ela gemer meu nome entre 4 paredes nesse quarto tornava se ainda mais insaciável.


Ren (N/) 

Sophia (N/) ~


         — Então geme meu nome,peça por mais meu doce..




Seus dedos começaram a deslizar para baixo o zíper de minha blusa,por fim ele jogou a por algum canto de meu quarto,deixando me metade nua.



        
         — Ren..com esse nome que eu quero ouvi-lá gemendo por mais..



Jogada contra a cama,tendo o sobre mim,ele começou a agora livrar se de meu short,junto já de minha roupa intima de baixo,deixando me completamente sem roupa alguma.

Gemi contra sua boca ao sentir seus lábios molharem o bicos de ambos meus seios,e suas mãos arrepiavam me a pele enquanto o mesmo tocava meu corpo inteiro.

    

          — Ahñ..h-hm..R-ren ..eu quero a sua boca na minha,você dentro de mim..



Soltei meus desejos em palavras sem hesitar,pois a chama acesa de desejo invadia me e não deixaria que eu negasse minhas vontades.



          — Me deixe então te beijar bem devagar,sentir seu sabor..te foder até que não sobre mais voz para gemer,eu quero te descobrir por inteira hoje Sophia..




Ren tomou meus lábios aos seus,de um beijo de ritmo lento,doce,mas intenso.

E sem aviso algum,puxou me pela cintura contra o  seu corpo,fazendo me descer devagar por cima de seu membro.

Abri meus lábios,gemendo e quebrando o encontro de nossas bocas.

Mas logo ele colou sua boca a minha novamente,enchendo me de prazer enquanto seus dedos apertavam meu bumbum,ditando o ritmo com que meu corpo chocava se contra o seu.

Sophia (N/)

Ren (N/) ~
   
  
Era alucinante te lá sobre mim,poder explorar cada curva de seu corpo,sentir cada sabor vindo dela.

Ela é tão doce quanto mel,tão viciante quanto uma droga,tão linda quanto as estrelas que iluminam e dão brilho ao céu.
  

Sophia é aquele brilho no túnel da escuridão,o tesouro do mapa,aquela que eu descobrir ser capaz de despertar meus mais profundos desejos,deixar me louco só para ter que seja um beijo seu.

Ren (N/)~


Sophia (N/) ~


Ren era o primeiro que fazia me sentir assim,mesmo não o conhecendo o suficientemente.

Tudo nele é tão doce,sua voz,seus lábios.

Entregar se a ele é tão fácil quanto não conseguir resistir ao seu sabor de sorvete preferido,você sempre quer mais. 



           — Ahñ ahñ..R-rem mais rápido ..
          


Suspirei em seus ouvidos,e imediatamente  ele inverteu nossas posições,sentando sobre a cama,fez me cair sobre o seu colo,gemi com o impacto de seu membro invadindo meu interior.


A cama rangia com o som das molas do colchão,que balançava descaradamente com o ritmo de nosso sexo que tornava se a cada estocada de Ren mais rápido,feroz.

Eu dizia seu nome implorando por mais,enquanto com seus dedos sobre meu bumbum,ele olhava me travesso,como se apreciasse a visão de uma bela paisagem.


Logo mais senti seu beijo molhado percorrer meus seios,estremeci,gemendo mais alto que anteriormente.


Neste momento agradeci por meus pais gostaram sempre de assistir a filmes em volume alto durante a noite.



Senti o diminuindo o ritmo bem devagar,da forma mais gostosa,até nossos corpos se renderem,e lentamente pude ver meu mel se escorrendo por entre minhas pernas..


Mas mal pude descansar,pois Jimin rapidamente fez me deitar de pernas abertas sobre a cama.


Encontrou seus lábios aos meus,lentamente,num beijo gostoso,sua língua invadiu minha boca,assim ele enfiou seu indicador em minha intimidade,fazendo me gemer de prazer com movimentos em que seu dedo entrava e saia de dentro de mim.



         — Ahñ Ren ..




         — Seus gemidos são música aos meus ouvidos Sophia..se eu pudesse escutaria a noite toda.



Com sua expressão cheia de desejo,suspirei sem fôlego quando suas presas perfuraram meu pescoço pela terceira vez na noite.


Sophia fez me gozar novamente,com seus movimentos contínuos.

Em seguida tirou seu indicador logo ao sentir meu líquido escorrendo pelo colchão,mas suas presas continuavam sobre a minha pele,seu rosto,seu suspiro quente em meu pescoço.


  

          — H-hm..R-ren,isso doi..



Ren imediatamente levantou sua cabeça retirando seus dentes de minha pele já marcada.

Seus olhos mudaram do roxo  para o castanho voltando ao normal,de sua forma humana.



        
           — Desculpa meu doce,eu não queria lhe machucar .. mas você é tão saborosa que é difícil resistir..




           — Eu sou ou o meu sangue que é? ...



Acariciei de leve seu rosto,fazendo um caminho com meus dedos por toda a sua bochecha.


Sua pele era pálida e tão macia quanto um algodão.




          —  Você por inteira Sophia..nem imagina o quanto eu esperei para te lá em meus braços,quando tempo a desejei..





        — Mas o que eu serei sua Ren? sua presa?



Ren puxou me contra o seu corpo novamente,pousando seus braços a minha volta,depositando um longo selar em meus lábios.



          — Bem que eu gostaria de te-lá como minha presa..prende-lá para poder ter você só para mim.




          — E quem disse que eu serei somente sua como se fosse alguma propriedade?



Sorri travessa.



          — Será que terei mesmo que prendê-la para poder te ter só para mim senhorita Sophia?




Meu riso sumiu. Queria ele ter mesmo eu como se fosse sua prisioneira?




         — Ren..saiba que se fizer isto irei dar um jeito de fugir.





         — Não me olhe assim Sophia...você pode ainda não me conhecer o suficiente,mas eu nunca faria isso..eu não quero ter que obriga-lá a estar comigo,quero que fique ao meu lado  por vontade própria.




          
         — Desculpa ..eu só tive medo..nunca pensei que vampiros existissem mesmo..e nunca imaginei que eu dia estaria se sentiria atraída  por um vampiro.





         — E eu nunca pensei que um dia uma humana fosse significar muito mais que uma presa na minha vida..esse será apenas o nosso segredo Sophia...




        — Só nosso..

Nenhum comentário:

Postar um comentário