domingo, 23 de agosto de 2015

Palavras clichês não ditas a você.



Sua imagem dormindo um tanto angelical sobre os meus olhos ainda está cravada em minha mente,gravada em meu coração.

“ Pensava ela deitada sobre a cama,enquanto escrevia mais um daqueles  textos sobre suas paixões clichês,sempre iguais. ”

Era numa noite de verão,amigos reunidos,eu tentava sorrir,mesmo sabendo que bem no fundo umas das maiores  razões  por eu estar ali era você. 
Mas o ditado “ tão perto,ao mesmo tempo tão distante ” defini o que eu sinto e de boba eu por criar expectativas continuava a querer estar o mais junto dele possível,quem sabe poderíamos nos aproximar mais? não..

As coisas não seriam simples assim e sentada sobre um banco qualquer enquanto todos riam já contagiados  pelo álcool,eu observava te adormecido,e meus dedos coçavam pela vontade de remexer em seus fios pretos,sentir um pouco do sabor de seus lábios ou simplesmente sequer te-lo mais perto de mim,inalar teu aroma,o toque de seus braços sobre mim.


Mas eu não o fiz,nenhuma atitude tomei.
Desejei que tudo fosse diferente dessa vez,porque eu demonstraria meus sentimentos não sabendo se seria correspondida?


“ A madrugada era longa,e a noite uma criança como costumavam dizer.
Se não poderia ouvir mais de sua voz,estar mais próxima dele então o que estaria fazendo ali? 
ela apenas ansiava  a todo momento estar em seu  lar ao invés de estar ali,inconformada com o pouco que pôde escuta-lo falando com ela. ”


Meu consciente desejava  por muito mais que apenas um selar na bochecha de despedida e alguns minutos de uma conversa aleatória. 

Pedia por um momento quem sabe a sós,ou nem que fosse passar horas jogando conversa fora 

Mas porque não poderíamos ser apenas amigos? o coração traiçoeiro insistia em sentir coisas desnecessárias,pelas pessoas erradas 

“ A garganta cheia de palavras não ditas,das vezes em que ela sentiu vontade de dizer a ele que sentasse ao seu lado,que a abraçasse,o vendo sempre parecendo estar longe ao seu alcance. 

Sem segundas intenções,ela apenas o desejava te-lo por mais perto,ter mais instantes  de sua companhia. “


De novo a mesma coisa? murmurei inúmeras vezes a mim mesma no caminho de volta a casa.

Da mesma paixão,das iguais atrações que nunca levavam me a lugar nenhum se quer a ficar sonhando acordada com cenas românticas de filmes,ou que nem do gênero romance fosse,mas eu apenas me conhecia bem demais para saber que eu sempre criaria  expectativas exageradas,a adolescente boba e sonhadora de sempre.


“ Ela olhava para a paisagem bonita a fora da janela do trem,evitava escutar as tais músicas que poderiam fazê-la lembrar dele,ora remexia se sobre o banco na tentativa de adormecer durante a viagem. 

E nada mudava. Pois a imagem dele em sua cabeça,a vontade de mandar alguma mensagem,não se alterava. ”

Pois uma única coisa será diferente agora,ninguém irá saber o que eu sinto.

Talvez você descubra tudo escondido nas vezes em que sorrio até demais  com suas brincadeiras,em que meu olhar se foca em ti,nas horas que trocar palavras contigo faz me feliz,ou simplesmente lendo este texto.

Mas por enquanto continuarei assim,a vida segue,e eu acalmarei meu coração convencendo o de que quando é para ser acontece naturalmente,é apenas questão de tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário