sábado, 31 de maio de 2014

Incompleta.


Na escuridão da noite,iluminada pelas luzes coloridas da cidade,andava lentamente.
Passos pequenos,pensamento longe,coração vazio,ela se sentia incompleta.
Perguntava a si própria  oque ele estaria fazendo,por onde esteve.

" Seu rosto,sua boca,seus olhos,cada parte se fazia presente em minha mente a todo momento,faria muito para te-lo agora. Oque sinto não tem nome.
Sei que meus desejos aumentam,e só ele pode completar tudo que falta aqui dentro. "

Continuava a caminhada,enquanto ocorria uma guerra entre seu corpo que insistia em procurá-lo,e sua consciência dizendo ser perca de tempo,afinal ele não sente nada.

" Ah se tu me desejasse como te desejo,resistir não estaria em meus planos,talvez me entregaria por inteira,sem pensar. "

Seu corpo se arreapiava com tais possibilidades.

" Mas não tenho garantias. Muitos me dizem ser provável não sentir nada por mim,e tudo oque imagino ser tudo uma grande ilusão.
Então oque me resta é isso. Esperar,e acreditar no tempo,porque dizem que oque está escrito para ser,nada impede. "

Nenhum comentário:

Postar um comentário